Entre a baía da Ilha Grande e o belo trecho da Mata Atlântica, Paraty se impõe no cenário das cidades mais incríveis e charmosas do mundo. A cidade se manteve esquecida e em total isolamento geográfico pela decadência dos ciclos econômicos (portuário, ouro, cana-de-açúcar, café), um ostracismo que colaborou para a sua preservação histórica e cultural e que mais tarde lhe rendeu o título de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Recentemente Paraty foi escolhida como referência em Turismo Cultural pelo Ministério do Turismo, o que consolida ainda mais a sua vocação turística.

 

Paraty está localizada no eixo Rio-São Paulo, a 250 km da capital carioca e a 290 km da capital paulista, o que possibilita com extrema facilidade o acesso por terra. A cidade também oferece um simpático aeroporto para aeronaves de médio porte e os que escolhem chegar por mar são bem recebidos por diversas marinas com toda infraestrutura, além de um cais comunitário tendo à vista a imponente Igreja de Santa Rita, cartão postal da cidade.

 

É magnífico o clima que envolve a cidade diante do mais harmônico complexo arquitetônico do Brasil colonial: os casarios barrocos com seus símbolos maçônicos, o calçamento das ruas com pedras irregulares (conhecido como pé-de-moleque), o colorido intenso de portas e janelas, as igrejas riquíssimas em detalhes, os fortes e as fortalezas que ilustram a bravura de um povo que enfrentou invasores e piratas de- fendendo o ouro e diamantes que circulavam por aqui. Existe até uma lenda de que em Trindade, famosa por suas belíssimas praias, há um valioso tesouro enterrado por piratas ingleses, fruto do saque na Catedral de Lima – Peru, e que até hoje nunca foi encontrado, uma ótima dica para que os visitantes façam uma caça ao tesouro decifrando as inscrições feitas nas pedras da praia do Caixadaço.

 

Outros atrativos não faltam aos visitantes, começando pelos vários hotéis e pousadas de altíssimo requinte, que servem deliciosos cafés da manhã, com serviços de bar, saunas, salas de jogos, equipados com amplos salões para festas e convenções, com profissionais altamente qualificados, que oferecem os mais variados serviços aos hóspedes mais exigentes.

 

Ao caminhar pelas ruas se vê nitidamente uma cidade efervescente! Diversas lojas oferecendo a delicadeza e a sofisticação do artesanato local, ateliers e galerias com artistas de várias partes do mundo apresentando seus trabalhos em cerâmicas, aquarelas, pinturas a óleo, artes em papel machê, madeira, fotografia, enfim, uma gama incontável das mais importantes manifestações artísticas, além de excelentes restaurantes, o que leva Paraty a ser um polo gastronômico de sucesso internacional.

 

A vida noturna satisfaz a todos os gostos: bares que servem iguarias e drinks originais à base de cachaça produzida artesanalmente em engenhos locais, além de casas noturnas que adentram a noite pulsando os sounds do momento.

 

Falar de Paraty é falar de sua belíssima baía de mar calmo, de águas azuis e verdes, absurdamente límpidas onde pontuam 43 praias irretocáveis de areias brancas e 65 ilhas paradisíacas, cada qual com sua singularidade. O roteiro marítimo pode ser feito em saveiros que servem almoço a bordo, como também nos simpáticos e seguros barquinhos nos quais o turista escolhe o roteiro e o tempo de percurso. Atrativo natural imperdível são as cachoeiras de águas revitalizantes, conhecidas mundialmente por sua beleza exuberante!

 

Paraty foi estratégica na relação entre o Velho e o Novo Mundo. Foi pelo chamado Caminho do Ouro, antiga trilha usada pelos primeiros habitantes de Paraty, os índios guaianás, que escoou toda produção de riquezas que desciam de Minas Gerais e São Paulo rumo a Portugal. Hoje o Caminho Velho da Estrada Real, que compreende 1.200 km de extensão ligando 177 municípios de Minas, 8 do Rio de Janeiro e 7 de São Paulo, tornou-se matéria obrigatória para quem quer conhecer importante elemento histórico da formação do Brasil. No trecho de Paraty, turistas são orientados a uma agradabilíssima caminhada ao longo dos 3 km da estrada de pedras irregulares que adentra na Mata Atlântica, e a sensação que se tem é de uma aprazível volta ao passado.

 

As manifestações populares e religiosas de Paraty são resultantes de três origens étnicas: dos negros, dos índios e dos caiçaras, este último grupo provindo da miscigenação entre portugueses, escravos e indígenas do litoral. Esta harmoniosa e espetacular mistura tem por consequência várias festividades sacras, sendo as principais delas a Festa do Divino Espírito Santo, a Festa de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito e a Festa de Santa Rita.

 

Na cultura popular as manifestações têm a diversidade de seu povo, como acontece por exemplo no carnaval com seus mascarados embalados pelas marchinhas da banda Santa Cecília, que divide a cena com os animadíssimos blocos e baterias.

 

A originalidade do carnaval paratiense é mesmo surpreendente, prova disso é o bloco Assombrosos do Morro, que desce do cemitério municipal fazendo o “bom terror”, e o criativo Bloco da Lama, formado por foliões caracterizados como homens das cavernas, cobertos dos pés à cabeça com a lama da praia do Jabaquara, que inclusive tem fama de possuir propriedades medicinais por seu alto teor de enxofre e outros elementos.

 

Paraty é casa de constantes festas, como a FLIP – Festa Literária Internacional de Paraty, que desde 2003 reúne nomes de peso da literatura nacional e internacional como Isabel Allende, Ferreira Gullar, Cristóvão Tezza, Salman Rushdie, entre outros. A FLIP cresceu e tornou-se um dos principais eventos literários do país, influenciando o surgimento de outros em todo o Brasil, acontecendo no mês de julho, oferecendo mesas de debates, palestras e shows musicais e deixando a cidade com um clima que só os livros podem trazer. Paraty tornou-se algo totalmente único pela descontração do lugar, possibilitando, quem sabe, um dedo de prosa com um romancista premiado, com uma ativista Prêmio Nobel ou até mesmo com um ex-presidente pelas ruas com calçamento pé-de-moleque, tudo isso observado pelos olhos curiosos dos bonecos de papel machê do artista plástico Jubileu, que dão um show de criatividade à parte.

 

Outra festa de sucesso é o Paraty em Foco – Festival Internacional de Fotografia, que reúne o que há de melhor da fotografia mundial, sendo atualmente o mais importante evento da Fotografia Cultural do Brasil. Durante o evento a cidade é focada por diferentes olhares, o que resulta Paraty em todos os ângulos, possíveis e impossíveis. O Paraty em Foco promove palestras, oficinas, exposições, leilões beneficentes e desenvolve importantes ações sociais com crianças e adolescentes da comunidade, inserindo-as em projetos que transmitem o conhecimento da cultura fotográfica.

 

Com o eletrizante Bourbon Festival Jazz, Paraty vive uma constante ebulição musical pelas ruas da cidade com as street bands, mas é na Praça da Matriz o centro do evento onde acontecem diversas apresentações de jazz tradicional e moderno, blues, soul

e swing que em três dias levam o público ao delírio! Com a mesma receita de sucesso surgiu o Paraty Latino, um festival que gira em torno da envolvente música caribenha, do tango moderno, da salsa, do merengue e do nosso querido samba. O evento já trouxe ícones como Marina de la Riva, João Donato e Paula Morelenbaum, entre muitos outros, e segue sempre numa envolvente

e deliciosa mistura musical.

 

Paraty consagra-se cada vez mais como palco de grandes eventos, como o Encontro Internacional de Aquarelistas, o Festival de Teatro de Rua, a Folia Gastronômica, o Festival Internacional de Cinema, a Semana da Cultura Negra no Quilombo do Campinho e o Encontro de Ceramistas, mostrando assim que tudo que acontece na cidade é sucesso garantido! Mas Paraty é muito mais do que se descreve, é destino de sensações únicas, lugar para se contagiar na divertida ciranda da vida, para amar intensamente. Cidade onde se pode viver o passado e perpetuar a felicidade presente.

CLIQUE AQUI PARA BAIXAR O CALENDÁRIO CULTURAL DE PARATY 2019